Total de visualizações de página

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Opinião - Tratamento de água auxilia no combate à escassez

Nas últimas semanas, com a escassez de chuvas, muitas cidades do país voltaram a se preocupar com o risco de uma nova crise hídrica. Entre os exemplos que podemos citar está o Sistema Cantareira, principal conjunto de represas responsável pelo abastecimento da Grande São Paulo, que, após ficar por mais de 30 dias sem chuvas, atingiu 39,9% de sua capacidade no fim de julho.

No Nordeste, os principais reservatórios também sofrem com a seca. O Castanhão, no Ceará, considerado o maior da região, chegou aos 8% da capacidade no meio do ano. Nesse mesmo período, o segundo maior reservatório da região, localizado no Rio Grande do Norte, operou com 29% da capacidade. Além disso, os rios responsáveis pelo abastecimento da região metropolitana de Goiânia atingiram níveis críticos e a maior barragem de Bagé, no Rio Grande do Sul, está cinco metros abaixo do normal.

Diante de todos esses números, é de extrema importância que a sociedade volte a se preocupar com a forma que utiliza a água, afinal, como todos sabem, esse é um dos elementos mais importantes para a sobrevivência humana. No entanto, muito mais do que simples ações domésticas, como reduzir o tempo no banho e fechar a torneira ao lavar as louças ou escovar os dentes, é importante olharmos também para a forma como as empresas utilizam esse recurso.

Nesse sentido, os setores industrial e público devem investir na implantação de sistemas de tratamentos de efluentes industriais e residenciais. Isso porque, quando não tratados de forma adequada, eles podem interferir diretamente na qualidade da água dos rios, lagos, represas e lençóis freáticos. Inclusive, as soluções químicas disponíveis no mercado para esse segmento são extremamente eficazes para minimizar os níveis de contaminação da água e são capazes de contribuir diretamente com a qualidade hidrográfica.

Com o objetivo de auxiliar no tratamento feito por administrações públicas e privadas, empresas nacionais trabalham constantemente no desenvolvimento de sistemas e produtos altamente eficazes e seguros. A proposta é manter a qualidade desse recurso disponível e evitar a contaminação.

O Cloro está entre uma das soluções altamente eficientes para auxiliar nesse problema, pois é ideal para a desinfecção de águas e esgoto. Inclusive, soluções à base de cloro são aplicadas há mais de cem anos em estações de tratamento e em indústrias de alimentos e bebidas, pois trata-se do meio mais eficaz e barato para prevenir doenças, eliminar parasitas, vírus, fungos e bactérias.

Esse cenário nos mostra que é importante enxergarmos que usar a água de forma racional vai muito além de manter as torneiras fechadas, é preciso pensar também em formas de tratamento, armazenamento e distribuição. Afinal, os reservatórios não são fontes inesgotáveis e a vida humana depende da conscientização e esforço de todos.

Por Elias Oliveira - é gestor institucional da unidade de negócio Sabará Químicos e Ingredientes, pertencente ao Grupo Sabará, empresa que oferece ao mercado soluções integradas para o tratamento de águas industriais e saneamento básico, garantindo há mais de 60 anos o fornecimento de produtos, equipamentos, assistência técnica e prestação de serviços para a desinfecção de águas em diversos processos industriais.

É membro da Comissão de Estudo de Produtos Químicos para Saneamento Básico, Água e Esgoto da ABNT; Membro da Comissão de Manuseio e Transporte da ABICLOR (Associação Brasileira da Indústria de Álcalis, Cloro e Derivados); Membro do Comitê Gestor Prodir (Processo de Distribuição Responsável) da ASSOCIQUIM; Membro da Comissão de Estudos e Prevenção de Acidentes no Transporte Rodoviário de Produtos Perigosos da Secretaria de Logística e Transportes do Estado de São Paulo; e Coordenador da Sub Comissão de Estudos e Prevenção de Acidentes no Transporte Rodoviário de Produtos Perigosos da Região de Campinas.

 Fonte: Grupo Image

terça-feira, 5 de junho de 2018

Ceará - Consumidores mais conscientes e empresas mais atuantes



Plantio de árvores e energia solar fotovoltaica são algumas das ações realizadas pela MRV Engenharia com o intuito de preservar o meio ambiente

Você sabia que apenas 25% da superfície terrestre permanecem livre de impactos substanciais causados por atividades humanas? Esse dado foi divulgado pela Plataforma Intergovernamental sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (IPBES), que projeta que até 2050 esse índice deve cair para menos de 10%. A agricultura e o estilo de vida de alto consumo da população são os principais fatores que vem degradando o ecossistema.

Diante disso, a busca por soluções sustentáveis e que impacte o menos possível o meio ambiente é uma preocupação cada vez mais constante em nossa sociedade. Um levantamento publicado pela Opinion Box, em relação aos consumidores brasileiros, aponta que 42% das pessoas se preocupam muito com práticas sustentáveis quando compram algo e 54% sempre ou com frequência preferem marcas famosas por cuidarem do meio ambiente.

Pensando no futuro

Líder nacional no mercado de imóveis econômicos, a MRV Engenharia compartilha dessa preocupação com o desenvolvimento sustentável e, consequentemente, com a saúde e bem-estar das comunidades onde atua. Nos primeiros quatro meses deste ano, a companhia plantou mais de 28 mil árvores no país. Desde 2010, a companhia plantou mais de 1 milhão de árvores.

De acordo com o gestor executivo de Segurança, Saúde e Meio Ambiente (SSMA) da MRV, José Luiz Esteves da Fonseca, essa ação, realizada há mais de 10 anos, é fruto das diretrizes de responsabilidade social e ambiental da companhia. “O plantio das árvores é um trabalho contínuo que vem transformando a realidade das cidades onde atuamos e contribuindo com toda a comunidade. Nos locais que recebem os plantios, a construtora segue as orientações das diretrizes governamentais de meio ambiente, privilegiando o uso de espécies nativas e adequadas ao bioma das cidades onde ocorreu o plantio”, explica o gestor.

A regional Ribeirão Preto foi a que mais se destacou em número de árvores plantadas, somando mais de 8.242, seguidas por Rio de Janeiro (5.240) e São Paulo (4.024). Na regional Sul foram mais de 3.160 e Nordeste 1.832 árvores. No estado de Minas Gerais (regional Triângulo e Belo Horizonte) são 1.661. Já o restante do plantio ocorreu em Campinas (1.654), Centro Oeste (1.103) e Espírito Santo (463).

A preocupação e o cuidado com o meio ambiente vão além do plantio e somam se a outras ações, também desenvolvidas pela companhia, como a entrega de tecnologias voltadas para economia de água e energia. Um exemplo, é a instalação de placas para a geração de energia solar fotovoltaica em seus empreendimentos. O uso destes benefícios no setor é algo inédito, que garante, além de economia para os moradores, a preservação do meio ambiente.

Em 2017, a energia solar fotovoltaica foi aplicada em 30% das unidades habitacionais lançadas pela MRV. Nos próximos cinco anos, todos os empreendimentos da construtora terão o sistema de energia fotovoltaica e a construtora estima investir cerca de R$800 milhões na implantação neste período.

Sobre a MRV
Fundada em outubro de 1979, a MRV Engenharia é líder nacional no mercado de imóveis econômicos e a primeira construtora da América Latina a oferecer energia fotovoltaica para seu segmento de atuação. Presente em mais de 150 cidades de 22 Estados e no Distrito Federal, a construtora, em seus 38 anos de atividade, já vendeu mais de 300 mil unidades.

Fonte: VSM Comunicação

Ceará - Segunda edição do Fórum Fortaleza Sustentável inicia nesta terça-feira


O evento, realizado em parceria com o Instituto Íris, tem como principal objetivo divulgar e apoiar boas práticas de sustentabilidade

Entre os dias 05 e 10 de junho, o Shopping Parangaba realiza a segunda edição do Fórum Fortaleza Sustentável. O evento faz alusão ao Dia Mundial do Meio Ambiente. Com entrada gratuita, a ação contará com palestras, oficinas, feira sustentável, apresentações culturais e mais. A programação vai iniciar sempre às 16h30, na praça central, piso L1. 

O evento, realizado em parceria com o Instituto Íris, tem como principal objetivo divulgar e apoiar boas práticas de sustentabilidade. Na ocasião, estarão reunidas organizações, profissionais da área e a sociedade para debater e compartilhar conhecimentos relacionados ao tema. A coordenadora de políticas ambientais da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (SEUMA), Edilene Oliveira, estará presente no Fórum, e irá realizar a palestra “Fortaleza: Uma Cidade Compartilhada”.

“O Shopping Parangaba já nasceu desenvolvendo práticas ambientais. Desde a construção do empreendimento foram adotadas ações sustentáveis. Até hoje realizamos diversas atividades dentro do projeto ‘Parangaba Sustentável’ que inclui: coleta seletiva, recolhimento de lâmpadas fluorescentes queimadas; uso do papel biodegradável, e mais. Nosso intuito é cooperar para a sociedade como um todo”, destaca o superintendente Leonardo Franco.

Confira a programação completa:

05/06 – TERÇA-FEIRA (ABERTURA DO EVENTO)
16h30 às 22h – Feirinha Sustentável
18h30 – Abertura do Fórum
Mesa redonda sobre Produtos Sustentáveis com Rafael Studart (VidaBr), Juliano (GreenBag) e Mário Gurjão (CEO da Inova mundo e FIEC).

06/06 – QUARTA-FEIRA
16h30 às 22h – Feirinha Sustentável
17h – Oficina de Hortas e Temperos com Raul Teixeira (Dona Zu Jardins)
19h – Mesa Redonda - Vida saudável: equilíbrio e consciência nas escolhas diárias. (Nelly Jereissati e Dell Jereissati @nossoequilibrio , Carlinha Fernandes e Sora Nutri).

07/06 – QUINTA-FEIRA
16h30 às 22h- Feira Sustentável
17h – Oficina Reciclando Pneus - PNelson
19h - Palestra – Fortaleza: Uma Cidade Compartilhada e Gentil – Edilene Oliveira - (coordenadora de Políticas Ambientais da SEUMA).

08/06 – SEXTA-FEIRA
16h30 às 22h - Feirinha Sustentável
17h- Oficina- Oficina de reciclagem com o projeto RECICLOCIDADES- CAGECE
19h – Palestra “Cidades Inteligentes: desenvolvimento sustentável e economia criativa.” Susanna Marchionni: CEO da PLANET Smart City e da SG Desenvolvimento.

09/06 – SÁBADO
16h30 às 22h – Feirinha Sustentável
16h30 – Brincadeiras infantis - Ecofor
17h – Recriarte – Oficina infantil para criação de brinquedos reciclados. – CIA Mix da Alegria
19h – Peça “Recriando com Amor” – CIA Mix da Alegria

10/06 – DOMINGO
16h30 às 21h - FEIRINHA SUSTENTÁVEL

EXPOSITORES FEIRINHA SUSTENTÁVEL:

SEUMA
- Entrega de mudas, cadastro para plantação de árvores nas ruas, informações sobre processos.

PNELSON
- Móveis feitos de pneus.

VIDABR
- Camisas feitas de garrafas PET.

GREENBAG
- Bolsas e mochilas feitas de lona caminhão.

Fonte: VSM Comunicação

Paraná - Domínio Solar estima crescimento de 300% em 2018


Considerado um dos países com maior incidência solar, o Brasil finalmente começa a aumentar a sua capacidade de geração de energia solar e em meados de maio deste ano supera a marca de 1GW em energia solar. Nesta semana, em que é comemorado o dia Mundial do Meio Ambiente, a Domínio Solar destaca o sucesso dos projetos implantados e estima crescer 300% em 2018, com projetos em sete estados da federação: SC, PR, SP, MS, GO, MT e RO.
O Brasil possui uma incidência solar média de 5,4, quilowatt-hora/m², atrás apenas da Austrália. Mesmo com todo este potencial, possui um parque fotovoltaico instalado de apenas 1GW. Uma prova do quanto o Brasil ainda pode explorar este meio, é o caso da Alemanha, que possui incidência solar média de 2,5 quilowatt-hora/m² e um parque instalado de 41 GW.
Especializada em energia solar, a Domínio Solar presta assessoria desde o projeto arquitetônico, passando pelos projetos de engenharia e instalação do sistema completo. Um dos projetos da empresa foi o Condor Santa Quitéria, uma filial da rede de supermercados paranaense, localizada em Curitiba, que utiliza 1422 módulos solares na cobertura da loja. A economia tem sido grande, com uma geração solar superior a 50 mil kWh mensais, suficiente para atender o consumo de mais de 200 residências. Este projeto implantado pela Domínio Solar no Supermercado Condor Santa Quitéria contribui para a redução da emissão de 29 toneladas de CO² por ano.
A energia solar é limpa, renovável e de rápida aplicação. O Brasil tem enfrentado sistematicamente problemas de planejamento no setor energético. Inundações de grandes áreas e dificuldade de licenças ambientais vem tornando os projetos de hidrelétricas cada vez mais inviáveis. Em relação às termelétricas a diesel, por exemplo, o problema é ainda mais grave, pois além de ser uma energia “suja”, tem seus preços oscilando com a variação cambial e as altas do custo do petróleo.
“Precisamos aproveitar melhor o potencial solar do nosso país e investir nesta energia limpa. O Sol, de fato, nasce para todos e a geração de energia fotovoltaica está se tornando cada vez mais viável”, disse o presidente da Domínio Solar, César Augusto.
O custo dos equipamentos fotovoltaicos teve uma redução de 80% nos últimos dez anos no mundo todo. Na contramão tivemos um reajuste médio de 44% na energia do Brasil desde 2012, ficando 36% acima da inflação do período.
A energia solar não é mais o futuro, mas sim uma realidade que vem sendo aproveitada por cidadãos e empresários de visão, reforça César Augusto. “O retorno do investimento nos projetos de energia solar já varia entre 4 e 6 anos, o que é muito interessante se comparado à vida útil de 25 anos dos equipamentos”, completa.
Fonte: WBC  COMUNICAÇÃO

São Paulo - Dia Mundial do Meio Ambiente: Lorenzetti promove campanha de conscientização entre colaboradores


Em sinergia com ações estabelecidas pela ONU, empresa desenvolve atividades relacionadas com o impacto do descarte de plásticos no meio ambiente
O Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 05 de junho, terá como destaque uma nova campanha de conscientização desenvolvida pela Organização das Nações Unidas (ONU). Com o tema “Acabe com a poluição plástica”, o projeto tem como objetivo chamar a atenção de governos, setor privado, comunidades e população para a importância da redução da produção e do consumo excessivo de produtos plásticos descartáveis, que poluem o solo, os oceanos, prejudicam a vida marinha e afetam a saúde humana. 
Sinergia com ações globais. Engajada com a causa, a Lorenzetti, prestes a completar 95 anos de história, realizará campanha interna sobre o tema. Com o objetivo de educar e conscientizar seus colaboradores na Semana do Meio Ambiente, celebrada em junho, a empresa promoverá ações e distribuirá informativos relacionados com o descarte correto de plásticos. Uma das iniciativas trata diretamente de uma das categorias de produto da empresa, a de purificadores de água, que contribuem para evitar o descarte de garrafas pets de água mineral no meio ambiente.
Dentro desse contexto, no Brasil são fabricados anualmente 14 bilhões de garrafas pets, sendo que seis bilhões são eliminadas na natureza. Modelos de purificadores Lorenzetti, por exemplo, que possuem capacidade para purificar quatro mil litros de água, um único refil evita o descarte de 2.666 garrafas de 1,5 litro ao ano. Enquanto que as versões com capacidade para purificar mil litros de água evitam o descarte de 666 garrafas pets de 1,5 litro de água por ano. Com base nesses dados, é possível afirmar que os purificadores Lorenzetti evitam o descarte de 2,95 bilhões de garrafas pets de 1,5 litro ao ano na natureza.
Para disseminar o conhecimento entre seus colaboradores, a empresa desenvolveu questionário relacionando com o cálculo de quantas garrafas descartáveis deixam de ser compradas a partir do uso de um purificador de água. Os profissionais que indicarem a resposta correta participam de sorteio de purificadores Gioviale, um dos modelos mais completos do portfólio da Lorenzetti.
Campanha consolidada. Paralelamente à ação específica da Semana do Meio Ambiente, a Lorenzetti realiza há mais de um ano a Campanha Lorenzetti Sustentável – Faça a Diferença. Seja Sustentável. O projeto prevê disseminar ações sustentáveis em atividades do cotidiano, no que se refere ao uso consciente dos recursos naturais, como água e energia elétrica, além de materiais de escritório, como papéis, por exemplo. Com base nisso, a campanha aborda cinco temáticas fundamentais: Energia Elétrica, Água, Papel, Resíduos e Telefone.
O projeto é gerenciado pelo setor de Meio Ambiente, com parceria e engajamento em forma de ações e comunicação de todos os setores administrativos e fabris da Lorenzetti.
As famílias dos funcionários também são impactadas, por meio de seus filhos, que são convidados a participar de concurso cultural sobre o tema da campanha desse ano, criando desenhos que expressem a preocupação com o meio ambiente e com a sustentabilidade. Todas as crianças receberão livros lúdicos e brinquedos educativos sobre o assunto para aprimorarem os seus conhecimentos. Os colaboradores serão contemplados também com brindes sustentáveis confeccionados com banners que estiveram expostos em eventos da Lorenzetti e que seriam descartados como resíduo plástico reciclável. 
Gestão socioambiental.  A Lorenzetti possui ações fixas voltadas ao cuidado com o meio ambiente. Um dos destaques é o LorenCicla, programa de coleta seletiva. A empresa gerencia adequadamente todos os seus resíduos, sempre empenhada em fazer parte dos acordos de Logística Reversa com seus fornecedores, clientes e órgãos gestores ambientais públicos e privados. Atualmente, possui diversos acordos consolidados de logística reversa de embalagens com seus fornecedores, em conformidade com a PNRS (Política Nacional de Resíduos Sólidos), Lei Federal nº 12.305/2010.
A Lorenzetti possui também coletores de pilhas acessíveis aos colaboradores, engajando a eliminação correta do resíduo tóxico. Essa demanda engloba não apenas o funcionário, mas as pessoas do seu convívio, como amigos e parentes, que podem fazer o descarte corretamente por meio do profissional que trabalha na empresa. Como resultado desta ação, em 2017, ocorreu a coleta de mais 130 kg de pilhas, 30% mais que em 2016.
Atualmente, a empresa realiza campanha interna de descarte de resíduos eletroeletrônicos, entre celulares, smartphones, computadores, DVDs, câmeras fotográficas, televisores e impressoras. A Lorenzetti disponibiliza caixas coletoras que ficam posicionadas em pontos estratégicos das fábricas visando facilitar o descarte. Dados do Ministério do Meio Ambiente indicam que há, pelo menos, 500 milhões de aparelhos eletroeletrônicos sem uso nos lares brasileiros.
Na fábrica de metais sanitários da empresa, desde 2009, 85% da água utilizada na galvanoplastia, processo responsável pelo tratamento de superfícies, é reutilizada. Em 2016, no processo de fundição, 100 toneladas de areia da macharia, que seriam destinadas para o aterro, foram recicladas. Na fábrica de plásticos sanitários, por sua vez, há um moderno processo de acabamento superficial com mínima geração de resíduos.
A partir de campanhas internas, entre 2014 e 2017, a Lorenzetti reduziu em 21% o consumo de água, por meio de ações simples, sem interferência na produção e no engajamento dos funcionários, como a instalação de hidrômetros setorizados, redutores de vazão e arejadores nos pontos de consumo coletivos, visando reduzir e controlar o fluxo de consumo da água. Outra medida adotada foi a instalação de sistemas de tecnologias para reuso da água de chuva para a limpeza de áreas menos nobres, como pátios e pisos das áreas fabris.
“A Lorenzetti sempre possuiu a sustentabilidade como uma de suas principais diretrizes, de maneira que os primeiros a sentirem os efeitos dessas ações são os colaboradores. A missão é disseminar esse valioso e importante conhecimento com a sociedade como um todo”, afirma Paulo Sergio Galina, responsável pelo marketing da Lorenzetti. 
Fonte: Pressaporter

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Opinião - 22 de maio, Dia Internacional da Biodiversidade



Em 22 de maio é celebrado o Dia Internacional da Biodiversidade, data proclamada pela Organização das Nações Unidas (ONU) com a finalidade de conscientizar a sociedade a respeito do valor e a representatividade que o tema tem para o mundo. No Brasil, o período é uma oportunidade para debater as formas de utilização dos nossos recursos naturais, reduzir os danos ambientais e sociais, uma vez que, em diversas regiões temos comunidades que dependem dos ingredientes oriundos da biodiversidade para garantir uma fonte de renda extra.

Ao traçarmos um paralelo entre o tema e a indústria alimentícia, encontramos bons exemplos, como as manteigas e óleos obtidos a partir de frutos e sementes da biodiversidade brasileira, entre eles o cupuaçu e a castanha-do-Brasil. A proposta é que esses ingredientes sejam acrescentados a receitas tradicionais do dia a dia, como pães, bolos, cookies, molhos e maioneses, para fortificar nutricionalmente o alimento, além de proporcionar sabores exclusivos.

Ou seja, além desses produtos serem obtidos de forma sustentável, eles são benéficos para a saúde por serem naturais. Aliás, podemos observar que cada vez mais cresce o número de consumidores conscientes, preocupados não apenas com o paladar, mas, também, com a saudabilidade e a procedência dos alimentos.

Uma prova disso está no crescimento do mercado de produtos saudáveis. De acordo com a Euromonitor, em 2017, o mercado brasileiro de produtos saudáveis movimentou R$ 92,5 bilhões, com expansão média anual de 9,5%, desde 2012.

Esse cenário nos mostra que a indústria alimentícia deve estar atenta às novas preocupações de consumo. Com o mercado cada vez mais exigente, é necessário desenvolver trabalhos inovadores, realizar pesquisas constantemente para proporcionar alimentos 100% naturais e com um paladar atraente. Afinal, o futuro da sobrevivência humana depende de práticas mais sustentáveis em todos os setores da economia.

Lilia Kawazoe - É Gerente Comercial da Unidade de Negócio Concepta Ingredients, pertencente ao Grupo Sabará, especializada no desenvolvimento de soluções naturais e tecnológicas, com foco nas indústrias de alimentos, bebidas, nutrição animal e farmacêutica veterinária.

Fonte: GPImage

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Pint of Science - João Pessoa - Sociólogo Vancarder Brito ministrará palestra sobre mitos e faces do desenvolvimento sustentável

Desenvolvimento Sustentável: mitologia redentora do século XXI ou uma nova face do progresso? Este será o tema da palestra que será ministrada pelo sociólogo e professor do departamento de Ciências Biológicas da Universidade Estadual da Paraíba, Vancarder Brito, no dia 16 de maio, às 19h30, durante a programação do Pint of Science, no Barraco Democrático, nos Bancários. O debate tem como objetivo problematizar a ideia de Desenvolvimento Sustentável e sua posição de centralidade nos discursos que organizam a realidade em suas dimensões econômica, social e política. De acordo com a organização do evento, o intuito é entender a formação do conceito, suas limitações, ambiguidades e contradições. A capacitação terá 45 minutos e será gratuita. 

Perfil do palestrante
Vancarder Brito é professor do departamento de Ciências Biológicas da Universidade Estadual da Paraíba - UEPB, CCBSA, Campus V em João Pessoa. Possui Bacharelado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual do Ceará - UECE (1997), Mestrado em Sociologia pelo Programa de Pós Graduação Em Sociologia da Universidade Federal da Paraíba - PPGS-UFPB (2000) e Doutorado em Sociologia pelo Programa de Pós Graduação em Sociologia da Universidade Federal da Paraíba - PPGS-UFPB (2006).

Pint of Science
É um evento internacional ocorrido em diversos lugares onde pesquisadores saem das universidades e institutos de pesquisa para conversar diretamente com as pessoas. Saiba mais: https://pintofscience.com.br/.

Fonte: site Pint of Science