Total de visualizações de página

quinta-feira, 26 de setembro de 2019

Sesc PR realiza neste domingo a 12ª Maratona Internacional de Foz do Iguaçu Sesc PR

Largadas da Maratona e do Revezamento iniciam a partir das 6h, no Mirante do Vertedouro da Itaipu Binacional; A chegada de todos os atletas e a premiação ocorrem dentro do Parque Nacional do Iguaçu
Foto: Ivo Lima
A partir das 6 horas da manhã deste domingo (29), têm início as largadas da 12ª Maratona Internacional de Foz do Iguaçu. Neste ano a prova recebe aproximadamente três mil atletas vindos de diferentes estados brasileiros, e de países como Argentina, Paraguai, Uruguai, Quênia, Etiópia, Tailândia, Alemanha, Estados Unidos, entre outros.
Mais de mil atletas percorrerão os 42.195m do trajeto que tem início ao lado do mirante do vertedouro da Itaipu Binacional; 459 corredores participarão da maratona de revezamento e mais de 1.600 atletas largarão para a prova dos 11,5km, no portão do Parque Nacional do Iguaçu. A chegada de todos os atletas será dentro do parque. O tempo máximo para a prova é de seis horas.
Em todo o percurso, aferido pela Confederação Brasileira de Atletismo, os atletas terão à disposição postos de atendimento médico, distribuição de água, banheiros químicos, frutas e isotônicos, além de placas de sinalização e policiamento.
A Maratona Internacional de Foz do Iguaçu é uma iniciativa do Sesc PR, da Prefeitura de Foz do Iguaçu, com apoio do Sindicato Patronal do Comércio Varejista de Foz do Iguaçu, da Câmara da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios de Foz do Iguaçu, Itaipu Binacional e Parque Nacional do Iguaçu. O evento recebe promoção da RPC e patrocínio da Caixa Econômica Federal.
Avenidas parcialmente interditadas
Durante a realização da prova, algumas avenidas de Foz do Iguaçu serão parcialmente interditas para a segurança dos atletas, no período de 5h30 às 13h. São elas:
  • Avenida Tancredo Neves
    · Avenida Juscelino Kubitschek
    · Avenida República Argentina
    · Avenida Brasil
    · Avenida Jorge Schimmelpfeng
    · Avenida das Cataratas
A organização da prova alerta que como o trânsito funcionará em sistema de barreira com um lado da via liberado de cada vez. O trânsito ficará mais lento, sugerindo desta forma que os passageiros do aeroporto e trabalhadores do entorno antecipem-se aos seus horários, pois não há rota alternativa.
Parque Nacional do Iguaçu
O Parque Nacional do Iguaçu abrirá o atendimento para visitação turística no domingo, 29 de setembro, a partir das 12h. O atendimento aos visitantes seguirá até às 17h. Durante toda a manhã de domingo, o parque estará aberto, exclusivamente, para a Maratona Internacional de Foz do Iguaçu Sesc PR. 
Para os corredores, familiares e pessoas que quiserem acompanhar a chegada da corrida internacional, a unidade atenderá das 5 horas às 5h50, com serviço de estacionamento, bilheteria e transporte. Após esse horário, os serviços de bilheteria e de transporte serão retomados somente a partir das 12 horas. 
Credenciamento de Imprensa
O credenciamento para a imprensa e para fotógrafos é obrigatório, deverá ser feito pelo e-mail jornalismo@fecomerciopr.com.br e está sujeito à aprovação. Para realizar o credenciamento é necessário apresentar documento oficial com foto e comprovar vínculo com algum veículo de comunicação, além de informar os dados relacionados abaixo:
Nome completo:
Data de nascimento:
RG:
CPF:
Nome da mãe:
Veículo de imprensa:
A entrega das credenciais será feira no sábado (28), das 9h às 16h, na Sala de Imprensa, na Unidade do Sesc Foz do Iguaçu (Av. Tancredo Neves, 222 Vila - A1). Para mais informações: (41) 3304-2020 | (41) 99677-4779.
Fonte: Ascom Sesc PR

São Paulo - Consumidor do varejo busca por marcas sustentáveis


Na mesma direção, empresas estão engajadas em oferecer produtos e serviços ecológicos, além de ações focadas na preservação do meio ambiente

A preservação do meio ambiente ganhou merecida visibilidade e se tornou um dos assuntos mais importantes da atualidade. No varejo não é diferente e muitos consumidores procuram por empresas que respeitem e contribuam para a sustentabilidade no mercado. Um estudo global da consultoria Gfk aponta que 76% dos consumidores esperam que as marcas sejam comprometidas ecologicamente. Além disso, outra exigência é que as marcas tenham a obrigação moral de respeitar o meio ambiente, segundo 28% dos cidadãos.
Para a diretora executiva do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (IBEVAR), Patricia Cotti, o perfil do consumidor mudou muito e ele está mais exigente com o consome. “Hoje, ele está mais consciente e procura marcas e produtos que, além de oferecerem qualidade, respeitem e até beneficiem o meio ambiente. A preservação ecológica ganhou muito destaque nos últimos tempos e é normal que os consumidores também criem esse comprometimento”, comenta a diretora.
Na mesma direção, as marcas percebem a mudança no perfil do consumidor e no modo de fazer negócio, e passam a entregar produtos e serviços mais sustentáveis. Essa prática aumenta a confiança na marca, fideliza o consumidor, fazendo com que ele volte outras vezes para adquirir determinado produto, pois sabe que é ecologicamente correto, e, consequentemente, contribui para o crescimento das vendas.
Muitas varejistas usam métricas de benchmark de sustentabilidade como referência para adotar boas práticas de preservação do meio ambiente. Deste modo, conseguem desenvolver operações mais assertivas nas lojas da marca, contribuindo para um setor comercial mais limpo e sustentável. Marcas como a Adidas, por exemplo, trabalham com garrafas de plásticos recicladas na produção de tênis de corrida. Já no segmento de hiper e supermercados, redes como Pão de Açúcar e Carrefour dispõe de sacolas ecológicas reutilizáveis, as famosas ecobags, que visam reduzir o uso das plásticas.
“Para fidelizar o consumidor e criar esse ciclo de confiança, a marca precisa apresentar práticas que realmente mostrem ao consumidor que eles estão do mesmo lado, trabalhando juntos e que possuem o mesmo objetivo”, finaliza Patricia.

Sobre o IBEVAR
O IBEVAR – Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo – é uma instituição sem fins lucrativos, que se propõe a produzir conteúdo no setor de Varejo & Consumo, promover networking entre executivos que atuam nessa área e gerar negócios entre os participantes. O IBEVAR atua em conjunto com o PROVAR/FIA no desenvolvimento dos executivos de varejo. www.ibevar.org.br

Fonte: Doizotocom

SP/RJ - Índice Mundial de Sustentabilidade Dow Jones contempla Grupo Generali pelo segundo ano consecutivo

A Generali, única seguradora italiana a fazer parte do Índice Mundial de Sustentabilidade Dow Jones, foi confirmada pelo segundo ano consecutivo na lista e incluída no Índice Europeu de Sustentabilidade Dow Jones, que reúne apenas os primeiros 20% da classificação de empresas líderes em termos de sustentabilidade na Europa.
O Índice Mundial de Sustentabilidade Dow Jones, lançado em 1999 como referência global de sustentabilidade, acompanha as principais empresas voltadas para a sustentabilidade, com base na análise financeira do RobecoSAM, fatores ambientais, sociais e de governança (ESG) relevantes e os DJI da S&P.
Esse importante reconhecimento é uma prova do compromisso do Grupo com a sustentabilidade mundial, que desempenha um papel fundamental para o crescimento da seguradora na estratégia Generali 2021.
Alguns exemplos de iniciativas do Grupo Generali nesse setor incluem:
  • compromisso de alocar € 4,5 bilhões até 2021 em investimentos verdes e sustentáveis;
  • aumentar o número de produtos com impactos sociais, sem ferir o meio ambiente;
  • Programa Responsabilidade do consumidor para atender às expectativas de sustentabilidade dos consumidores;
  • prêmio Enterprise para PMEs sustentáveis.
Além da Generali, outras 316 empresas compõem o movimento e a participação da seguradora se deve ao reconhecimento da sua capacidade em garantir o compromisso permanente com o desenvolvimento da sustentabilidade, da gestão responsável do negócio e engajamento de seus stakeholders.
“Ter a permanência da Generali no Índice Mundial de Sustentabilidade Dow Jones e a sua inclusão no Índice Europeu de Sustentabilidade Down Jones é a garantia de que estamos trabalhando e pensando de forma certa em um mundo mais sustentável”, comenta Philippe Donnet, CEO do Grupo Generali. “É através do reconhecimento dos nossos esforços em termos de Sustentabilidade que demonstramos a eficácia de nossa estratégia de longo prazo. Isso reflete a importância que damos aos valores atribuídos em nossa Carta de Compromisso de Sustentabilidade, presentes no dia a dia do nosso grupo”, finalizou.

Sobre o Grupo Generali
A Generali é um dos maiores grupos globais de gestão de ativos e seguros. Fundada em 1831, está presente em 50 países no mundo, com uma receita total de prêmios de mais de € 66 bilhões em 2018. Com quase 71.000 funcionários e 61 milhões de clientes, tem uma posição de liderança na Europa e presença crescente na Ásia e na América Latina. O Grupo Generali pretende ser o parceiro vitalício de seus clientes, oferecendo soluções inovadoras e personalizadas graças a uma inigualável rede de distribuição.

Fonte: Spin 

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

São Paulo - Lorenzetti participa de campanha de coleta de eletroeletrônicos com participação dos colaboradores

Segundo dados da ONU, somente 3% dos insumos são descartados corretamente, o que pode gerar graves riscos de contaminação ao meio ambiente

Comemorado em 14 de outubro, o Dia Internacional do Lixo Eletrônico tem como objetivo reforçar a importância do descarte correto e reciclagem de produtos. Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), o Brasil é o segundo maior produtor de lixo eletrônico do continente americano e o sétimo no mundo, com 1,5 milhão de toneladas por ano. O levantamento aponta ainda que apenas 3% dos itens são descartados corretamente, gerando graves riscos de contaminação ao meio ambiente.

A Lorenzetti, empresa líder em duchas, chuveiros e aquecedores de água a gás, é comprometida com as melhores práticas de respeito ao meio ambiente e de apoio à sustentabilidade. Por isso, nesse ano, a empresa é uma das apoiadoras do International E-Waste Day 2019, com campanha voltada ao descarte adequado de eletroeletrônicos.

A ação ocorre em parceria com a Green Eletron, fundada pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), que atua como gestora de resíduos. A campanha prevê a coleta durante uma semana na sede da Lorenzetti, localizada na Mooca, além de contar com reforço de comunicação entre os colaboradores sobre a importância do descarte correto de eletroeletrônicos.

Após o encerramento da ação, todos os resíduos coletados serão encaminhados para as empresas recicladoras homologadas da Green Eletron para serem transformados em matéria-prima para a fabricação de novos produtos pela indústria.

Como descartar corretamente? Além da ação de incentivo promovida internamente pela Lorenzetti, todas as pessoas podem fazer o descarte de eletroeletrônicos da maneira correta. Para isso, basta levar o equipamento em desuso aos pontos de coleta da Green Eletron. Os endereços de entrega voluntária recebem notebooks, impressoras, tablets, celulares, acessórios de informática, câmeras, chuveiros, cabos, carregadores, entre outros itens.

“A Lorenzetti tem em seu DNA o compromisso com o meio ambiente, seja em processos internos ou no desenvolvimento de produtos economizadores. A Política Reversa é uma ação que beneficia toda a cadeia e entendemos que iniciativas como essa são essenciais para ampliar o conhecimento sustentável da população. O nosso objetivo é ampliar essas iniciativas, impactando nossos colaboradores, clientes e fornecedores”, conclui Paulo Galina, gerente de marketing da Lorenzetti.


Fonte: Press à Porter

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

São Paulo - No Dia Mundial da Limpeza, Largo da Pólvora recebe nova ação de revitalização

Voluntários vão participar da atividade de limpeza como preparação para a chegada da primavera

O Largo da Pólvora, localizado na Liberdade, receberá mais uma ação de revitalização neste sábado (21). Voluntários e representantes das empresas que se prontificaram a cuidar do espaço, FECAP (Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado), Greenline LATAM e JCI Brasil - Japão, vão preparar o local para a chegada da primavera na próxima semana. A limpeza será feita das 09h30 às 11h30.

O dia 21 de setembro se torna ainda mais relevante devido à comemoração do Dia Mundial da Limpeza. As últimas atividades de revitalização do Largo contaram, também, com alunos do Ensino Médio Técnico em Meio Ambiente da FECAP. Houve, ainda, a Cerimônia de Doação e Soltura de Carpas de Raça, as chamadas Nishikigoi, em abril deste ano.

Revitalização do Largo da Pólvora
 
Desde junho do ano passado, foram realizadas diversas ações para a revitalização do Largo da Pólvora. Foi feita a aplicação de concreto nos lagos para preenchimento de fissuras existentes e uma pintura atóxica para garantir a saúde das carpas Koi.
 
Venha participar!
 
Serviço
 
Ação de limpeza do Largo da Pólvora | Dia Mundial da Limpeza
Data: 
21/09 | das 09h30 às 11h30
Local: Largo da Pólvora - Av. da Liberdade, 532 | Liberdade - São Paulo (SP)
 
Sobre a FECAP

A Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP) é referência nacional em educação na área de negócios desde 1902. A Instituição proporciona formação de alta qualidade em todos os seus cursos: Ensino Médio (técnico, pleno e bilíngue), Graduação, Pós-graduação, MBA, Mestrado, Extensão e cursos corporativos. Dentre os diversos indicadores de desempenho, comprova a qualidade superior de seus cursos com os resultados do ENADE (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes) e do IGC (Índice Geral de Cursos), no qual conquistou o primeiro lugar entre os Centros Universitários do Estado de São Paulo. Em âmbito nacional, considerando todos os tipos de Instituição de Ensino Superior do País, está entre as 5,7% IES cadastradas no MEC com nota máxima
.


sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Paraná - Prati-Donaduzzi e Centralpack evitam a emissão de 7,8 mil toneladas de CO2 na atmosfera

Com o uso de energia incentivada, a farmacêutica Prati-Donaduzzi e a indústria de embalagens Centralpack, ambas com sede em Toledo no Paraná, deixaram de emitir mais de 7,8 mil toneladas de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera. O levantamento foi feito e divulgado pela Comerc Energia e Sinerconsult.

Segundo o estudo, caso as empresas utilizassem fontes convencionais, para neutralizar o causador do efeito estufa, seria necessário plantar 58.395 árvores em um projeto de reflorestamento com duração de 30 anos.

Somente a Prati-Donaduzzi, evitou a emissão de mais de sete mil toneladas de dióxido de carbono (CO2). Já a Centralpack, que integra o Grupo Prati-Donaduzzi, deixou de emitir 800 toneladas.

Entre as fontes renováveis utilizadas pelas empresas, estão: energia eólica (força dos ventos), solar (luz e do calor do Sol) e biomassa (matéria orgânica).

Energia Incentivada

A iniciativa chegou a receber certificado da Comerc Energia e Sinerconsult que adotam uma metodologia de cálculo desenvolvida nos Estados Unidos pelo World Resources Institute (WRI). O método utilizado pelas instituições segue a mesma linha utilizada por empresas, ONG’s e governos de todo o mundo.

O engenheiro eletricista da Prati-Donaduzzi, Renan Augusto Taborda, explicou que a farmacêutica é considerada consumidora livre e poderia escolher o fornecedor de eletricidade, mas opta pela energia incentivada.

Segundo o gerente de engenharia da farmacêutica, Fernando Zimmermann, atualmente 100% da energia utilizada na indústria de medicamentos e embalagens provem de fontes alternativas, a chamada energia limpa.

“As empresas do Grupo Prati-Donaduzzi tem grande preocupação com o meio ambiente. Receber esse certificado é sinônimo de orgulho, pois demonstra que estamos comprometidos não apenas com produção de medicamentos, mas também com a sustentabilidade do planeta”, disse Zimmermann.

De acordo com diretor da Centralpack, Victor Donaduzzi, um dos pilares da corporação é o compromisso e o respeito com o meio ambiente. “No mundo globalizado é importante pensarmos nas questões ambientais. Se cada empresa fizer a sua parte daremos cada vez mais um passo para o futuro e, consequentemente, para as próximas gerações”, completou Donaduzzi.

A Centralpack, indústria de embalagens que integra o Grupo Prati-Donaduzzi, também faz o uso de energia incentivada. Nos três últimos anos a empresa reduziu mais de 800 toneladas de dióxido de carbono o que equivale a 5.987 árvores em um projeto de reflorestamento com duração de 30 anos.

SOBRE A PRATI-DONADUZZI

Prati-Donaduzzi, indústria farmacêutica 100% nacional, é especializada no desenvolvimento e produção de medicamentos genéricos. Com sede em Toledo, oeste do Paraná, produz, aproximadamente 11,5 bilhões de doses terapêuticas por ano e gera aproximadamente 4,3 mil empregos. É considerada a maior produtora de medicamentos genéricos do Brasil* e pretende incrementar em 15% seu faturamento e capacidade produtiva em 2019.

*IQVIA MAT JUL/2019 PMB + NRC Doses Terapêuticas


Fonte: Race Comunicação

São Paulo - Abeaço reuniu autoridades em logística reversa para estimular reciclagem de embalagens

Evento realizado na FIESP debateu as soluções para que fabricantes de produtos, embalagens, varejo e consumidor final assumam a responsabilidade compartilhada pelo correto descarte de resíduos sólidos
O Brasil gera cerca 78,4 milhões de toneladas de resíduos sólidos por ano e 70% dos municípios têm algum tipo de coleta coletiva. No entanto, os serviços públicos de limpeza não conseguem abranger nem metade do lixo produzido. O resultado do descarte incorreto de produtos que têm potencial de reciclagem gera danos ao meio ambiente e à saúde humana. Na última quarta-feira, 11 de setembro, a Associação Brasileira de Embalagens de Aço (Abeaço) reuniu na Federação das Indústrias de São Paulo (FIESP) autoridades públicas e privadas para discutir, junto com o público, soluções capazes de reduzir os resíduos gerados por embalagens, enquadrando o setor nas exigências da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).
A presidente da Abeaço, Thais Fagury, apresentou o case da Prolata, associação que tem como foco a correta destinação de latas de aço para reciclagem. A Prolata foi a primeira entidade gestora para logística reversa de embalagens reconhecido pelo Ministério do Meio Ambiente. Além de contar com mais de 30 Pontos de Entrega Voluntária (PEVs) em todo o País, a Prolata mobiliza hoje mais de 50 cooperativas de reciclagem. Desde a fundação da associação, já foram coletadas e recicladas mais de 28 mil toneladas de aço.
“Nosso objetivo é criar condições para que a cadeia de reciclagem da lata de aço se complete, envolvendo os fabricantes de latas, fabricantes de produtos, cooperativas, consumidor final e indústria siderúrgica”, explica Thais. Hoje 100% das embalagens coletadas pela Prolata são recicladas por uma única siderúrgica parceira. “Mas estamos buscando mais parcerias na indústria siderúrgica”, diz a executiva.
Modelo baseado no compartilhamento de responsabilidade
O modelo de reciclagem instituído pela Prolata foi inspirado no case da Suécia, país bem-sucedido não apenas em seus índices de reciclagem, que chegam a 82%, no caso das latas de aço, mas também no modelo instituído, que gera eficiência e prevê o compartilhamento de responsabilidade entre todos os elos da cadeia. O presidente do Conselho de Inovação e Competitividade da Fiesp, Antônio Teixeira, destacou que o modelo de reciclagem que a Prolata está adotando no Brasil foi estabelecido após um rigoroso trabalho de benchmark em países europeus.
Embora a Alemanha, por exemplo, recicle 96% das latas pós-consumo, o modelo adotado é baseado em um padrão de logística reversa extremamente caro, pois as embalagens são entregues à coleta em um único saco de lixo, geralmente de cor amarela. Já na Suécia estabeleceu-se um sistema em que a cadeia de produção tem que criar condições para que o consumidor deposite suas embalagens voluntariamente, já separando-as por categoria, o que dá eficiência ao sistema e reduz o custo.
“Com este modelo, a Abeaço e a Prolata saíram na frente. Mas nada será possível se não motivarmos o consumidor a colaborar”, destacou o presidente do Sindicato Nacional da Indústria de Estamparia e Metais (Siniem), Rogério Marins. Ele lembra que alguns mercados no país, migraram da lata de aço para a embalagem plástica apenas visando o custo. “Muitas vezes vemos o consumidor levando para casa um produto embalado em algo que não é reciclável por causa de alguns centavos de diferença. Em algum momento as pessoas vão ter que entender que é uma economia que vai gerar custos para toda a sociedade. Se nossa geração não compreender isso, talvez a dos nossos filhos entenda”, afirmou Marins.
Embalagens: um item essencial à vida
O ponto da discussão em torno da logística reversa de embalagens deve ser o grau de reciclabilidade e o fim que se dá a elas. O designer Fábio Mestriner, um dos maiores especialistas em embalagens do país, ressaltou que embalagem é vista como uma vilã do meio ambiente, mas é o que permite que todos os itens essenciais à vida cheguem em segurança aos consumidores.
“Gosto de lembrar para que serve a embalagem: ela existe para atender às necessidades e anseios da sociedade. Conforme a sociedade vai evoluindo, a embalagem vai evoluindo também”. Como exemplos, Mestriner ressaltou que cerca 86% dos alimentos consumidos no Brasil são embalados. Cerca de 70% do que o brasileiro bebe, como leite (20%) e água mineral (30%), também chegam às casas dos consumidores embalados.
“As funções básicas da embalagem são conter, proteger e transportar. A primeira embalagem de que se tem notícia surgiu na Pérsia, 12 mil atrás, como um vaso para a estocagem de alimentos, o que permitiu que as famílias deixassem de ser nômades e iniciassem a revolução agrícola. São as embalagens também que permitem o modelo atual de abastecimento de alimentos e produtos de higiene e limpeza para milhões de pessoas, com melhores custos: o supermercado do tipo pegue e pague.”
José Eduardo Ismael Lutti, procurador do Ministério Público do Estado de São Paulo e vice-presidente da Associação Brasileira dos Membros do Ministério Público de Meio Ambiente (Abrampa), lembrou que, embora a PNRS tenha sido instituída em 2010, a responsabilidade sócio-ambiental das empresas já está consolidada na Constituição de 1988. “Pela Constituição brasileira, a atividade econômica não pode ter como única finalidade o lucro. Hoje quem fabrica um produto é também responsável pela embalagem. Essa responsabilidade compartilhada cabe principalmente aos fabricantes, distribuidores e importadores”, afirmou.
Lutti ressaltou que, atualmente, cerca de 40% do lixo depositado em aterros sanitários é representado por embalagens coletadas pelo serviço público de limpeza, que é custeado pelos contribuintes. “Não é justo que esta conta seja da sociedade, pois isso está sendo pago por todos os cidadãos, independentemente de terem consumido ou não esse produto”, ressaltou, acrescentando que os fundamentos da ecoeficiência são: uso sustentável de recursos naturais, redução, reutilização e reciclagem de materiais, formas alternativas de geração de energia, disseminação interna e externa de uma consciência ambiental e práticas de eficiência ambiental em conjunto com a economia financeira.
O exemplo da Baixada Santista
A promotora de Atuação Especial do Meio Ambiente (GAEMA) do Ministério Público de São Paulo, Almachia Zwarg, ressaltou que o Termo de Cooperação Ambiental assinado com a Prolata foi o primeiro do Estado de São Paulo. O Termo, que teve como foco o recolhimento e o encaminhamento à reciclagem de latas de tinta, abrange os nove municípios da Baixada Santista, sendo que já foram implantados nove PEVs nos municípios de Santos, Guarujá, São Vicente e Itanhaém.
“Muitas vezes o Ministério Público é visto como uma entidade que gosta de litígios. Mas esta não é a realidade. Na Baixada Santista evitamos o litígio e fazemos de tudo para entrar em entendimento com as empresas. Não somos defensores extremistas do meio ambiente, mas entendemos que sem ele não há vida. As empresas hoje são sim responsáveis pelo que fabricam”, disse a promotora, elogiando iniciativas como a da Prolata, que entregam resultados efetivos e contam com a colaboração de fabricantes de tintas e redes de varejo.
O evento contou também com a presença da especialista Sarah Pianowski, engenheira ambiental da Secretaria de Meio Ambiente do Estado do Ceará, que apresentou os desafios e avanços do estado no sistema de logística reversa; e com Lia Helena Demangi, gerente da Divisão de Logística Reversa da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), que apresentou a sistemática de licenciamento ambiental para as empresas implementadas no Estado de São Paulo, que já leva em conta o enquadramento nos requisitos na PNRS.
Sobre a Abeaço
Fundada em maio de 2003, a Associação Brasileira de Embalagem de Aço (Abeaço) foi criada com o objetivo de fortalecer a imagem da embalagem de aço, além de dar suporte técnico e mercadológico aos seus fabricantes. Sem fins lucrativos, a entidade investe e apoia iniciativas de gestão ambiental, sobretudo quando associadas a finalidade social, e  aproxima os interesses de toda a cadeia produtiva. A instituição soma esforços para fomentar pesquisas, desenvolver campanhas de esclarecimento, participar de eventos e divulgar as características das latas de aço. Hoje, a Associação reúne empresas do setor interagindo intensamente com entidades empresariais, fabricantes de embalagens, organizações ambientalistas e o governo. Saiba mais sobre a Abeaço acessando o site www.abeaco.org.br.
Fonte: Press à Porter

Belo Horizonte - Feira na Rosenbaum desembarca em BH em curta temporada

Grande Hotel Ronaldo Fraga recebe até este sábado(14/09), a Feira na Rosenbaum, um encontro que reúne artistas e designers independentes para apresentar ao público criações autorais e com identidade essencialmente brasileira.

Criada em São Paulo, há 7 anos, quando a efervescência de bazares urbanos e feiras de design ainda nem existiam em São Paulo, a Feira na Rosenbaum, é precursora neste movimento de apresentar marcas autorais de design para o público. Com curadoria de Cris Rosenbaum, a  feira recebe desde comunidades criativas tradicionais do Brasil a artistas e designers contemporâneos. Tudo isso em uma atmosfera de casa aberta, com música, sons, cheiros e cenários.
Esta é a 3ª vez que a Feira da Rosenbaum desembarca na capital mineira. Para esta edição, a curadoria convocou 35 marcas das áreas, que apresentam um mix variado de produtos, incluindo itens de cama, mesa, banho, joias e bijoux, objetos, aromas, papelaria, adornos, moda e acessórios diversos. A proposta da curadoria é selecionar marcas/designers que consigam traduzir a alma e a essência brasileira em produtos.
"A Feira nasceu da vontade de reunir marcas independentes em um momento em que existiam poucos espaços para que elas se apresentassem ao público. Existem muitos artistas, designers e artesãos criando e traduzindo a cultura e a alma do Brasil. Poder apresentá-los e reuní-los para um público cada vez maior é o propósito principal do nosso trabalho. Usar o design para expor a alma brasileira”, conta Cris Rosenbaum, curadora de design e organizadora da Feira.
Expositores Feira na Rosenbaum - edição Grande Hotel Ronaldo Fraga
Jóias/Bijoux
1 Áurea Sacilotto
2 Jana Favoreto
3 Lívia Velludo
4 Paula Marques
5 Adore Handcraft
6 Camila Sarpi
7 Marisa portela
8 Camila Romero
9 Claudia Savelli

Madeira
10 O Designer Artesão
11 Casa Na Árvore
12 Alma Design

Objetos
13 Paola Muller
14 Renata McCartney
15 Suka Braga
16 Arte Tribal

Mesa
17 Estúdio Avelós
18 Estúdio Veste
19 O Belo no Papel
20 êmê

Cerâmica
21 Mi Molinari
22 Pamelitas
23 Greghi Design
24 Thais Mor

Moda/Acessórios
25 Estúdio Lenha
26 Varal
27 Naai
28 Adue
29 Zsolt quer ficar em L
30 De Araque
31 Ollivia Shibori

Aromas
32 Oléa
33 Pavio de Vela
34 Saboaria Brasil

Diversos
35 Schizzibooks
Um pouco mais sobre a Feira na Rosenbaum
Durante os 7 anos, já são mais de 30 edições criadas e muitos encontros. Marcas como Heloisa Galvão, Lola Müller, Greghi Design e Nina Lima - que já estavam juntas desde a primeira edição da Feira na Rosenbaum - cresceram, e novas marcas de jovens artistas e designers se somaram ao grupo de parceiros da iniciativa.
A Feira foi ganhadora da primeira edição do Prêmio MUDA, criado pela Casa Vogue / Vogue / Revista Glamour em parceria com o Sistema B, na categoria Gente (Pequenas Empresas). O Prêmio foi conquistado pelas ações da Feira na criação e fortalecimento de uma rede de criativos brasileiros composta por designers e artesãos e a valorização de seus saberes. Ações em parceria com o Instituto Kabu e Origens Brasil levam para a Feira na Rosenbaum os trabalhos de diversas comunidades indígenas brasileiras através de projetos sérios e responsáveis. Desde 2018 a Feira também está atenta a destinar corretamente seus resíduos, trabalhando junto com a empresa social Comida Invísivel pelos selos Metano Zero e Lixo Zero em suas edições.
Sobre Cristiane Rosenbaum
Cristiane Miranda Rosenbaum estudava direito quando teve os primeiros contatos com a moda trabalhando em lojas como Fórum, Zoomp e Carmin. Trancou a faculdade e começou a estudar moda, passando pela primeira turma de moda do SENAC e depois pela Saint Martin – University of the Arts London. De volta ao Brasil passou a trabalhar como assistente de estilo na marca Huis Clos. Como estilista e coordenadora de estilo colaborou com marcas como Atitude, Side Walk, Siberian, Arezzo e Naka. Em 2003 montou, junto da sócia Tatyana Takasse, a marca de roupas infantis Santa Paciência. Em 2012 organizou a primeira Feira no escritório de design Rosenbaum com 100% da renda revertida para o projeto A Gente Transforma, criado pelo designer Marcelo Rosenbaum. A Feira seguiu um caminho por esses 5 anos de história guiada pelo olhar da Cris, que foi organicamente encontrando a identidade e o lugar onde a Feira deveria estar. Hoje, Cris continua se dedicando a produzir a fazer a curadoria de expositores da Feira na Rosenbaum

Feira na Rosenbaum - edição Grande Hotel Ronaldo Fraga
Até 14/09 - sábado
Rua Ceará, 1205 - Funcionários
Horários de visitação: de segunda a sexta, de 10h às 20h e sábado das 10h às 18h
Entrada Franca
Informações: (31)2555-4056 ou pelo site www.feiranarosenbaum.com.br

Fonte: A Dupla Informação 

Fortaleza - Padaria Romana promove campanha de sustentabilidade para clientes e funcionários

Durante todo o mês de setembro, a Padaria Romana Delicatessen, da Avenida 13 de Maio do Bairro de Fátima em Fortaleza, está trabalhando com a visão voltada para a sustentabilidade. Palestras, treinamentos e campanha na loja vão mobilizar clientes e colaboradores. 

Para os clientes, foi lançada a Campanha "Plante Essa Ideia". Troque a embalagem de plásticos dos produtos adquiridos na Padaria pelo papel e receba uma moeda sustentável Romana na forma de Folha. Essa moeda tem valor real na Loja da  Avenida 13 de Maio.

Como participar: na hora da compra troque embalagem de plástico dos bolos; troque a embalagem de isopor dos frios; ou traga sua sacola retornável ou mesmo compre a sacola na loja.

"Venha conhecer nossa campanha e fazer parte. Ajude a você  e ao Meio Ambiente. Assim semearemos um Mundo Melhor", convida Marina de Castro Braga, gerente de atendimento da Padaria Romana. Conforme a gestora, novas ações virão por ai movimentando também o Bairro de Fátima.

Mais informações: (85) 3433-8951 ou 8952.

Fonte: jornalista Marcellus Rocha

São Paulo - Sustentabilidade não é só meio ambiente

Tema da palestra de Roseli Capudi, especialista em Gestão Sustentável, no 3º Fórum Brasileiro de Hotéis, que acontece esta semana em São Paulo
Você já parou para pensar como uma política de sustentabilidade pode transformar o setor hoteleiro e, consequentemente, ter um impacto global tremendamente significativo? Somente no Brasil, existem mais de 2,4 milhões de quartos de hospedagem.
Da economia de energia elétrica ao uso de produtos de limpeza, passando pelas miniaturas de produtos oferecidas por grandes marcas nos quartos de hotéis no mundo todo, há uma grande margem para mudança de comportamento que pode, sem dúvida, promover uma transformação sem precedentes na história do setor hoteleiro.
Este é um dos temas da palestra de Roseli Capudi no 3º Fórum Brasileiro de Hotéis Independentes que acontece de 11 a 13 de setembro, de 8h às 18h, no São Paulo Expo, capital paulista.
“Vou falar sobre como podemos quebrar paradigmas neste setor que tem tanta tradição e que, ao mesmo tempo, tem uma capacidade incrível de adaptação e inovação; implementando um modelo de gestão sustentável voltado para a hotelaria”, resume Roseli Capudi, especialista em Liderança Sustentável e consultora no assunto.
“Eu defendo o equilíbrio organizacional fundamentado no tripé da sustentabilidade, nas dimensões social, econômica e ambiental. Acredito que isto seja, de fato, possível e em breve, sobretudo pelo engajamento dos próprios gestores do setor”, acrescenta Roseli.
Segundo ela, a liderança sustentável ainda está muito ligada à natureza e meio ambiente. Precisamos desmitificar isso, trazendo o conceito mais amplo do tripé da sustentabilidade. As empresas precisam gerar valor para as pessoas e manter o equilíbrio da sustentabilidade, seja com ações voltadas ao meio ambiente, ao aspecto econômico ou ao social”, afirma a especialista em sustentabilidade Roseli Capudi, palestrante da Fadel.
Roseli palestra nesta quarta-feira, dia 11, no #º Fórum Brasileiro de Hoteis Independentes, promovido pela Ameris By Nobile, no São Paulo Expo.
Na sexta-feira, Roseli Capudi fará palestra também no Equipotel, maior feira de hospitalidade da Amperica Latina, que acontece de 10 a 13, também no Expo São Paulo.
O interesse pelo tema da Gestão Sustentável está crescendo e criando um movimento mais consciente no meio corporativo.

Fonte: BRZ Content Assessoria de Imprensa

Fortaleza - Fortaleza terá evento internacional de gastronomia orgânica em setembro

De 25 a 28 de setembro, Fortaleza vai sediar o Ceará Organic Food Festival, primeiro festival internacional totalmente dedicado à alimentação orgânica realizado no Brasil. O evento quer contribuir para a um mundo mais saudável e sustentável, trazendo à tona discussões sobre a utilização de alimentos orgânicos e toda a sua cadeia de produção e comercialização.

Para isso, o Ceará Organic Food Festival terá uma programação abrangente -  científica, prática e cultural - com grandes nomes do Brasil e de outros países como Suécia, Bolívia, França e Uruguai. Será uma jornada de palestras, mesas redondas, apresentações de trabalhos científicos e aulas show com pesquisadores e chefs de cozinha consagrados que trabalham com a valorização da agricultura familiar e o uso consciente dos alimentos orgânicos.

“O festival se propõe a contribuir para novos estilos de vida, incentivando a agricultura familiar agroecológica, fomentando a criação de novos espaços de comercialização de alimentos orgânicos, resgatando os valores ligados aos hábitos da alimentação e apresentando novas concepções de vida integradas à Terra”, explica o educador Adalberto Alencar, diretor da Fundação Cepema (Centro de Educação Popular em Defesa do Meio Ambiente), organizadora do evento. “Um palco onde sociedade civil, governos, ONGs, acadêmicos, especialistas, produtores, gestores, chefs e empresários possam discutir das questões relacionadas à cadeia produtiva dos alimentos orgânicos”, complementa.

Seguindo esses objetivos, a programação do Ceará Organic Food Festival vai trabalhar seis grandes temas relacionados à alimentação: Saúde, Alimentos, Sustentabilidade, Tradição alimentar, Políticas públicas, Cultura, tecnologia e negócios. E além da programação científica, o Festival terá ainda feira agroecológica e de artesanato, apresentações artísticas e musicais e festival gastronômico no Mercado dos Pinhões.

Podem participar do evento quaisquer pessoas interessadas, inclusive para apresentar trabalhos científicos, mediante inscrições com preços variados. Todas as informações gerais do evento podem ser obtidas no endereço www.cearaorganicfoodfestival.com.

O Ceara Organic Food Festival terá também uma programação fora de Fortaleza, no Maciço de Baturité, nos dias 20 a 23.

SERVIÇO:

Ceara Organic Food Festival – 25 a 28 de setembro

Local: Fábrica de Negócios

Informações e inscrições: www.cearaorganicfoodfestival.com.


Realização: Fundação Cepema; Associação dos Chefs de Cozinha do Ceará (ACC); Observatório Cearense da Cultura Alimentar (Occa); Cooperbio; Novo Conceito.

Apoio: Rede EcoCeará; Associação Alternativa Terrazul; Cáritas Ceará; Banco Palmas; Instituto Iracema; Famer; NAJA; Atitude popular - Café com Democracia; Rede Terra do Futuro; Instituto Federal de Educação (IFCE); Prefeitura de Fortaleza; Secretaria do Desenvolvimento Agrário do Ceará

Parceria: Portal do Organico; Sebrae; Sindialimentos; Escola de Gastronomia Social Ives Dias Branco; Mallory; U&We;

Alguns dos nomes já confirmados na programação do Festival:

Bel Coelho - Premiada chef do restaurante Clandestino e apresentadora do Receita de Viagem (canal TLC Discovery).

Peter Weinfrelt -  Economista, geógrafo e consultor de negócios sustentáveis na empresa U&We Suécia.

Leonel Cerruto -  Índio Quechua (nativo dos Andes) da Bolívia e fundador do Centro de Cultura Originárias Kawsay-Bolívia, Rede Internacional Terra do Futuro.

Rosa Lia Barbieri -  Doutora em Genética e Biologia Molecular pela UFRGS, pesquisadora na EMBRAPA.

Laércio Meireles – Consultor em agricultura ecológica, engenheiro agrônomo, especialista em agroecologia e DRS pela Universidade Internacional de Andalucia, integrante do Centro Ecológico e membro da rede internacional Terra do Futuro.

Adriana Camurça - Doutora em Alimentos e Nutrição pela FEA-UNICAMP, docente no Curso de Gastronomia da UFC. Integra o projeto Biodiversity for Food and Nutrition.

Sonia Felipe - Possui pós-doutorado em Bioética Ética Animal pela Universidade de Lisboa, docente da UFSC. Pesquisadora e palestrante em Ética animal, Direitos animais, Ética ambiental e Veganismo.

Leticia Baird - Promotora de Justiça no Ministério Público Bahia. Coordenadora do projeto Escola Sustentável, programa suplementar de alimentação escolar, com vistas à progressiva adoção de alimentação preventiva de doenças à base de vegetais.

Maxime Michaud - Pós-doutor no programa IMAGITOUR (UMR 7324 CITERES, Universidade François Rabelais de Tours), Coordenador do Observatório Internacional de Refeições e Práticas Culinárias, pesquisador do Institut Paul Bocuse.

Malin Söderstrõm - Premiada chef sueca, proprietária de restaurante, escritora, primeira mulher a se tornar membro da Svenska Kocklandslaget.

Julia Senninger - Consultora de Sustentabilidade e sócia da U&We -Suécia. Presta consultoria para a Hållbara Restauranger, rede de Restaurantes Sustentáveis.

Leo Gonçalves - premiado chef o restaurante O Mar Menino, um dos idealizadores do Movimento DOC (Denominação de Origem Cearense)

Kadma Marques, Vanessa Santos e Roberto Araujo -  fundadores do Observatório Cearense da Cultura Alimentar (OCCA)

Rita Taraborelli – Escritora, cozinheira e ilustradora. Pratica a cozinha vegetariana criativa e valoriza os processos artesanais e ingredientes de origem agroecológica.


Nilza Mendonça – autora do livro “Em busca dos sabores perdidos”, pesquisadora com foco resgate e a valorização de insumos nativos nordestinos.


Fonte: Kerla Alencar

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

São Paulo - Sodimac e Prolata instalam pontos de coleta de latas de tinta vazias na Baixada Santista

Coletores já estão disponíveis em cinco lojas das bandeiras Sodimac Dicico e Dicico e têm como objetivo garantir a reciclagem das latas
Sodimac, varejista líder no setor de materiais para construção, reforma e decoração na América Latina, deu início à instalação de pontos de entrega voluntária (PEVs) da Prolata. Até o momento, foram instalados coletores nas lojas Sodimac Dicico em São Vicente, Guarujá Balsa e Itanhaém, além das unidades Dicico em Santos e Guarujá Enseada, totalizando cinco pontos. Brevemente, a empresa irá expandir o projeto para outras lojas da Baixada Santista.
Os PEVs fazem parte da estratégia da cadeia de produção e comercialização de tintas de cumprir todas as etapas da chamada logística reversa, garantindo que as embalagens de tinta vazias possam ser coletadas e recicladas da forma correta, sem serem descartadas no meio ambiente, e gerando valor para toda a cadeia de reciclagem, especialmente para os catadores.
“Essa iniciativa fornecerá aos nossos clientes uma alternativa correta e segura para o descarte de embalagens de aço após o uso dos produtos. Além disso,     será uma forma de atuação junto à comunidade, uma vez que as latas arrecadadas nos pontos de entrega voluntária (PEVs) presentes nas lojas serão doadas para as cooperativas de reciclagem inscritas no programa”, destaca Fernando Uchoa, Diretor de Riscos e Governança da Sodimac Brasil. Antes do descarte da lata de tinta, a recomendação é usar toda a tinta da lata, não lavar a embalagem e deixar secar os resíduos por, pelo menos, 24 horas.
A instalação dos postos da Prolata na Baixada Santista faz parte do plano de ação definido no Termo de Cooperação Ambiental celebrado, em novembro de 2018, entre o Grupo de Atuação Especial do Meio Ambiente (GAEMA), do Ministério Público de São Paulo; a Associação Brasileira de Embalagem de Aço (Abeaço), criadora e coordenadora da Prolata; a Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas (ABRAFATI); e a Associação dos Revendedores de Tintas do Estado de São Paulo (Artesp).
“Acreditamos que é papel do fabricante de latas de aço recebê-las de volta e encaminhá-las para revalorização. A Prolata foi a primeira entidade gestora para logística reversa de embalagens reconhecida pelo Ministério do Meio Ambiente”, explica Thaís Fagury, presidente da Abeaço e coordenadora da Prolata. Ela destaca que o sistema de logística reversa deve ser constituído considerando a responsabilidade compartilhada, envolvendo consumidor, fabricantes de embalagens, fabricantes de produtos envasados, varejo e, por fim, a indústria recicladora. Thaís lembra ainda que o aço é um material 100% e infinitamente reciclável. 
Endereços das lojas que já receberam coletores:
Sodimac Dicico São Vicente: Av. Prefeito José Monteiro, 1045, Jardim Independência
Sodimac Dicico Itanhaém: Rua João Pedro Orsi, 117/120, Cidade Anchieta
Sodimac Dicico Guarujá Balsa: Av. Adhemar de Barros, 1531, Jardim Helena Maria
Dicico Guarujá Enseada: Av. Dom Pedro I, 2520, Jardim Belmar
Dicico Santos: Rua Alexandre Martins, 80 – 301, Aparecida

Sobre a Sodimac
A Sodimac opera mais de 250 lojas em sete países: Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, México, Peru e Uruguai. Ingressou no Brasil em 2013, quando ocorreu a fusão com a Dicico. Hoje, conta com 53 lojas no país com as bandeiras Sodimac Homecenter|Constructor, Sodimac Dicico e Dicico. Na Baixada Santista são 12 lojas e o que já era bom está ficando ainda melhor. As lojas Dicico estão se transformando em Sodimac Dicico e as remodelações na região estão a todo o vapor. As unidades de Praia Grande, São Vicente, Caraguatatuba, Peruíbe, Cubatão, Itanhaém, Mongaguá e Guarujá (Vicente de Carvalho e Balsa) já operam no novo formato. Até 2020, as demais lojas em Santos, Bertioga e Guarujá Enseada passarão pela transformação. O novo formato Sodimac Dicico, além de preservar as características da Dicico já conhecidas, une os diferenciais da Sodimac. Entre as novidades, estão novas categorias de produtos para jardinagem e pets, além de marcas exclusivas, como a tinta Kolor, que vende todas as cores no mesmo preço que a branca. Os clientes também podem contratar serviços de instalação e pintura e alugar máquinas e ferramentas.
Sobre a Prolata
A Prolata é uma associação sem fins lucrativos, criada em 2012, pela cadeia de valor dos fabricantes de latas de aço no Brasil. Iniciativa da Associação Brasileira de Embalagem de Aço (Abeaço) e coordenação e patrocínio em conjunto com a Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas (Abrafati) para o cumprimento da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), Lei no 12.305/10, e demais políticas públicas de âmbitos federal, estadual e municipal, a Prolata obtém recursos de seus associados e parceiros investidores, os quais são integralmente aplicados na manutenção e desenvolvimento de seus objetivos.

Fonte: Press à Porter

sexta-feira, 30 de agosto de 2019

Minas Gerais - Pif Paf conquista Selo Prata de sustentabilidade, certificado pela FGV


O compromisso com a sustentabilidade garantiu à Pif Paf Alimentos uma conquista inédita. A empresa é a primeira no setor de alimentos congelados em Minas Gerais a realizar o inventário de gases de efeito estufa. Pelos resultados alcançados, a transparência e a amplitude, o estudo foi publicado na plataforma online do Registro Público de Emissões e rendeu, para a companhia, o Selo Prata do Programa Brasileiro GHG Protocol.
O Protocolo de Gases de Efeito Estufa (GHG Protocol) é um importante método para entender, quantificar e gerenciar as emissões na atmosfera, utilizado por diversos países. No Brasil, é aplicado por meio do Programa Brasileiro GHG Protocol, coordenado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). O objetivo é contribuir para que as empresas que realizam o inventário – uma espécie de raio X das emissões decorrentes das operações, produtos e serviços – desenvolvam estratégias responsáveis e sustentáveis, a fim de minimizar os impactos do negócio na qualidade do ar e no processo de aquecimento global.
O estudo contém todas as informações exigidas pelas “Especificações do Programa Brasileiro GHG Protocol – EPB” e foi qualificado publicamente como Inventário Prata. “O reconhecimento que recebemos traduz nossos esforços diários para a integração das mudanças climáticas ao nosso negócio. Reforça uma atuação responsável e sustentável nos nossos processos produtivos, o que é, também, um diferencial nos mercados de todo o mundo”, ressalta o gerente de Sustentabilidade da Pif Paf, José Borges de Carvalho.
O inventário corporativo desenvolvido pela empresa mineira mapeia as principais fontes de emissão de gases de efeito estufa em cada processo. Os dados presentes no documento permitem definir novas metas e estratégias e adotar tecnologias e procedimentos que reduzam os impactos das atividades no meio ambiente.
Nos últimos meses, a Pif Paf já havia recebido outros reconhecimentos por sua atuação sustentável. Um deles foi o certificado de Tecnologia da Informação Verde (TI Verde). O prêmio, oferecido pela empresa Furukawa Eletric, valoriza as melhores iniciativas relacionadas ao uso consciente dos recursos tecnológicos. Além disso, o projeto “Valoração da Provisão de Água no Processo de Abatimento de Aves e Processamento de Carne”, elaborado na unidade de Visconde do Rio Branco (MG), foi reconhecido e publicado no Anuário das Iniciativas Empresariais, focado em Tendências em Serviços Ecossistêmicos do GVCes – Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Sobre a Pif Paf Alimentos
Com sede corporativa em Belo Horizonte, a Pif Paf Alimentos, maior indústria frigorifica mineira, atua nas cadeias da produção verticalizada de aves e suínos. Possui 10 unidades industriais, dedicadas à produção, abate e processamento de 75 milhões de frangos e mais de 500 mil suínos por ano. Seu mix contempla mais de 350 itens, entre carnes, pescados, embutidos, massas, pratos prontos, pães de queijo, salgados, dentre outros. A empresa emprega, diretamente, cerca de 8 mil pessoas e possui 90 mil clientes. Está presente em mais de 20 países, com destaque para Japão, Canadá, Hong Kong, Cingapura, Rússia e Argentina.

Fonte: Link Comunicação Empresaria

Ceará - Nave Planeta Futuro pousa no Sesc Iparana e garante diversão para visitantes do Hotel Ecológico nesse final de semana


O Sesc Iparana, braço social do Sistema Fecomércio, oferece programação ecológica especial nesse final de semana para colaboradores, hóspedes e visitantes clientes do Hotel Ecológico e do clube. A Nave Planeta Futuro pousa nas instalações do empreendimento neste sábado, 31 de agosto, e domingo, 1º de setembro, garantindo uma experiência fantástica com tecnologia voltada para a conscientização ambiental.

Projeto realizado pela ENEL Distribuidora Ceará e coordenado pelo Instituto Intervalo, a nave trata-se de um equipamento moderno especialmente desenvolvido para promover a consciência ambiental de alunos de escolas públicas do Estado do Ceará.

A nave abrirá suas portas para visitação que acontece de 8h30 as 16h30 para um público de 100 pessoas por dia. “A nave é diversão garantida. É uma oportunidade também de associar o lúdico com o universo das novas tecnologias e educação ambiental ao mesmo tempo”, informa o analista assistencial de Meio Ambiente do Sesc Iparana, Francisco Cardoso.

Na Sala de Projeção será mostrado um vídeo dos cataclismos ambientais provocados pelo homem como consequência do seu descuido com o nosso planeta. A tecnologia e efeitos especiais empregados durante a exibição permitirão aflorar ainda mais os sentidos dos visitantes, tornando a viagem ainda mais impactante e reflexiva.
        
Já a Sala de Jogos, alegre e aconchegante, os visitantes terão a oportunidade de “salvar o planeta”. Com jogos interativos em touchscreen, aprenderão sobre o uso eficiente de energia elétrica; o uso racional da água e preservação ambiental através de atitudes simples aplicáveis ao nosso cotidiano, como a coleta seletiva do lixo. 

Os jogos não tem caráter competitivo, pelo contrário, no final, para que tenham êxito o que conta mesmo é a atitude correta e a cooperação mútua entre os 12 participantes de cada turma.

De volta à Sala de Projeção, novas imagens do planeta terra em sua exuberância e beleza, reforçarão a vontade de “somar esforços” e “fazer a diferença” para preservá-lo. Destaque para a fauna e flora cearense onde alguns seres em extinção lutam pela sobrevivência.

Sobre a Nave Planeta Futuro

A nave foi criada especialmente para proporcionar aos visitantes: emoção, conforto e grandes sensações, através de multimídias administradas diretamente de uma cabine de comando. A engenhoca conta também com uma estrutura completa para os eventos na comunidade composta de palco articulável, telão externo para projeção de vídeo e acessibilidade às pessoas com necessidades especiais.

Sesc Iparana Hotel Ecológico

Localizado na Praia de Iparana, a cerca de 14,2 km do centro de Fortaleza, o Sesc Iparana Hotel Ecológico possibilita contato direto com a natureza. Com 32 hectares de área total, o empreendimento preserva um importante ecossistema costeiro, sendo um dos últimos fragmentos de floresta de tabuleiro. Essa floresta ocupa aproximadamente 13 hectares, consistindo em uma Reserva Privada do Patrimônio Natural (RPPN).


SERVIÇO

Visitação Nave Planeta Futuro
Data: sábado (31/8) e (01/09)
Horário: 8h30 às 16h30
Local: Sesc Iparana- Hotel Ecológico - Rua José Alencar, nº 150 – Praia de Iparana – Caucaia-CE
Público: colaboradores, hóspedes e visitantes clientes do Hotel Ecológico e do clube.
Informações: (85) 3318-4900



Fonte: Ascom do Sistema Fecomércio-CE
Foto: divulgação

terça-feira, 27 de agosto de 2019

Ceará - Projeto Escola Vem ao Sesc se destaca com projeção internacional no Prêmio Internacional Latinoamérica Verde no Equador

“Em terceiro lugar, o projeto desbanca mais 2.300 de 35 países e fica entre 10 finalistas no Prêmio Protagonista DIRECTV”

O analista do Sesc, Francisco Cardoso (esquerda), e o presidente da Fecomércio-CE, Maurício Filizola.
Visibilidade internacional e reconhecimento dão destaque para o projeto Escola Vem ao Sesc no Prêmio Internacional Latinoamérica Verde, ocorrido no Equador, de 21 a 25 de agosto. O projeto firmou-se em terceiro lugar da premiação sendo o único finalista do Brasil cocorrendo com Chile (1º lugar) e Argentina (2º lugar) na categoria Floresta e Flora.

O presidente do sistema Fecomércio-CE, Maurício Filizola participou da defesa do projeto que ocorreu na noite de gala do evento, na cidade de Guayaquil, através de uma apresentação oral para a cúpula internacional do Meio Ambiente. “Esse reconhecimento é consequência de um trabalho bem desenvolvido pela equipe. Estamos orgulhosos com este resultado”, declarou Filizola.

O projeto deixou para trás mais de 2.300 projetos de 35 países, fazendo parte dos 30 finalistas do ranking dos 500 melhores. Ainda na competição, participou de uma premiação simultânea, ficando entre os 10 finalistas do Prêmio Protagonista DIRECTV,uma parceria entre a empresa de comunicação e o Prêmio Latinoamérica Verde.

O Escola Vem ao Sesc se projetou na competição para o mundo como único projeto defendendo uma mudança de mentalidade, comportamento e de hábitos, voltados para a preservação dos recursos naturais. “A colocação de ambas as premiações vem para firmar que estamos no caminho certo para colaborar com o meio ambiente, com a conscientização de sua importância através da educação ambiental para alunos de rede pública. Seguiremos com a jornada rumo ao primeiro lugar ano que vem”, declarou o analista do Sesc, Francisco Cardoso.

Os critérios analisados durante a premiação foram: aplicabilidade, inovação, sustentabilidade ambiental, sustentabilidade social e sustentabilidade financeira. Chile e Argentina defenderam projetos de solução florestal para a desertificação e madeiras plásticas ecogênese, respectivamente.

Com cerca de quatro anos de existência, o projeto Escola Vem ao Sesc está incluído no Programa de Educação do Sesc no Ceará. Através dele, alunos de escolas públicas da Região Metropolitana de Fortaleza, com idade entre 7 e 14 anos, realizam uma aula de campo sobre educação ambiental na Reserva Ecológica Sesc Iparana.

Nas visitas, são ofertadas atividades educativas e culturais, além de recreação no parque aquático. A programação acontece todas as terças-feiras pela manhã e à tarde, de acordo com o calendário escolar dos visitantes, sendo recebidos em média 120 alunos por turno. A iniciativa é gratuita e tem o objetivo de auxiliar na formação de novos multiplicadores ambientais.

Existente há quatro anos, o projeto já atendeu 180 escolas e 28 mil alunos.

Etapas
Na primeira etapa, o projeto Escola Vem ao Sesc ficou em 1º lugar, com esse julgamento da comissão por meio da análise escrita quando enviado. Na segunda etapa, o projeto passou por avaliação oral, para uma nova comissão convidada pelo prêmio, conquistando o 3º lugar.
Sobre o Sesc

O Sesc, instituição integrante do Sistema Fecomércio, oferece ações de educação, cultura, esporte, lazer e promoção social. Os trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo, empresários e seus dependentes são os beneficiados pelo Sistema, mas os serviços também podem ser acessados pela população em geral.

Facebook: /sescceara
Twitter: @sesc_ce
Instagram: sescce

Fonte: Ascom do sistema Fecomércio-CE